Vendo um parque por uma tirolesa

Talvez algum leitor que já tenha morado perto de um parque tenha percebido a maravilha que é poder apreciá-lo a partir de cima, mesmo se você já teve a chance de sobrevoar um parque de alguma maneira, deve ter percebido aquilo que é óbvio, vê-lo de baixo e de cima são duas formas de contemplar uma beleza completamente diferente. Alguém teve uma solução inteligente para isso nos parques ecológicos, simplesmente instalaram tirolesas!

– O que é uma tirolesa (e uma mega tirolesa)

Uma tirolesa é uma corda muito longa ligada de um ponto a outro, o objetivo é deslizar e apreciar tudo que há por baixo, geralmente uma floresta. A sensação é muito agradável, categoricamente recomendada para quem tem problemas de stress. Algumas tirolesas são chamadas de “mega tirolesas”, por exemplo a mega tirolesa de Atibaia, mas essas eu só recomendaria para pessoas realmente interessadas em adrenalina (aqui você vai entender o porquê) por terem seu percurso maior que o habitual. A melhor parte é que é um “voo” limpo, seguro, no qual você não irá usar nenhum tipo de combustível. Claro, não precisa dizer que também sai mais barato.

Pois bem, sempre que chego em um novo lugar, uma tirolesa é uma das primeiras coisas que busco, quando numa cidade não há tirolesa em um lugar radical, quando ela carece de uma colina ou formação geográfica que beneficie a sua existência, geralmente não sou muito afeito a essa cidade. Talvez por isso que eu não seja um grande fã das cidades europeias, é preciso que uma cidade tenha, além de parques e museus, uma grande opção de aventura radical, porém, dá para entender que cidades tão históricas busquem conservar o seu aspecto histórico. Considerando esses fatores, essa é uma das razões pelas quais considero que um dos melhores lugares para curtir o turismo radical é o México.

– Porque gosto do México

No México, a melhor tirolesa que já experimentei foi a do parque de Aktun-Chen, esse parque oferece uma série de atrações incríveis como lagos subterrâneos, a chance de ter contato com animais da fauna silvestre e mesmo tirolesas que permitem que você tenha uma visão panorâmica da floresta virgem, incrível!

Os passeios pelo parque são guiados por guias muito bem preparados e educados. Por mais que grande parte dos visitantes sejam pessoas equilibradas, segurança nunca é demais. Isso diz respeito aos passeios pelas grutas, como também diz respeito aos cenotes (como soa bela esta palavra), e, também, como não poderia deixar de ser, à floresta. Na hora de partir para a tirolesa, reparei na intensa preocupação com os passageiros, lembro de ter visto uma senhora de seus 70 anos com os netinhos, que acabou deslizando a pedido dos netos. Os funcionários do parque tiveram um imenso cuidado, especialmente durante a chegada. As crianças ficaram muito felizes. De fato, o pessoal é bastante profissional!

 

Ficar hospedado em Rostov na Copa

Agora o assunto do momento é a Copa, que como brasileiro não posso deixar de ir ver! O problema agora é quebrar a cabeça com as agências de viagem para a Rússia! O problema nem está em Moscou ou São Petersburgo (graças a Deus o Brasil vai jogar lá, pois vou gastar menos do que indo até Ecaterimburgo), o problema vai ser me virar em Rostov-on-Don, eu que nem falo russo, ainda mais depois de saber que há mais de uma Rostov, a minha dor de cabeça vai ser correr atrás de uma alma em pleno sul da Rússia, pelo que eu li, terras cossacas, que saiba falar pelo menos o básico da nossa língua portuguesa. A princípio estranhei o lugar, até ler um pouco ele.

Para quem não sabe, a melhor parte é que o clima é familiar para nós brasileiros, ou seja, você vai se vestir do mesmo jeito que iria se vestir na frente de uma praia do Nordeste, pois o clima é quente, a melhor notícia é que com a seleção baseada em Sochi, se você quiser ainda pode ter a chance de curtir uma praia legal. As praias russas são bonitas, com a diferença de que a areia, ou melhor, as pedras (pasmem!) são pequenas, lisas e pretas.

Voltando à misteriosa cidade-sede, Rostov até que é uma cidade bonita, segundo um blog que eu li, parece um misto de cidade do sul com algumas do Nordeste.

Olá!

Me chamo Sérgio Alexandre, sou programador, mas atualmente tenho meu próprio negócio voltado para ciclistas e praticantes de esportes radicais. Viajo pelo mundo sempre que posso, viajar é um dos melhores investimentos, e partilho a ideia de que o melhor suvenir são as lembranças inesquecíveis. Muitas vezes as viagens me trazem novas ideias e possibilitam novos contatos de trabalho, parceiros, e também incríveis amigos e companheiros de viagem. Espero em uma das minhas viagens encontrar a mulher ideal, e talvez algum dia criar com ela um blog exclusivamente sobre as nossas viagens e aventuras pelo mundo. Desejo compartilhar assim tudo o que vivenciei com incríveis vídeos.